em coautoria com Maria Balbina Martins de Rizzo e Vinicius Pinho

compliance 360, compliance, governança corporativa, compliance 360º, Candeloro

A primeira edição do nosso livro, de abril de 2012, com 2.500 exemplares impressos esgotou-​se em novembro de 2014. Somos sempre gratos a todos aqueles que nos prestigiaram com as diversas aquisições durante esse período, mas também aos novos consumidores que nos motivaram a publicar uma segunda edição da obra.

 

Resolvemos enfrentar os desafios da “edição do autor”, uma jornada solitária de muitas descobertas, e à parte as preocupações legítimas de ordem operacional eis que surge o “funding”. Como arrecadar recursos suficientes para oferecer aos nossos amigos e novos consumidores uma segunda edição visualmente mais interessante, um resultado final que justificasse a ausência do mercado por tantos meses?

 

Foi quando encontramos pessoas queridas que nos receberam com satisfação, nos acolheram porque acreditavam na importância do tema para o mercado empresarial brasileiro e confiavam no nosso trabalho e seriedade, e acabaram viabilizando esta segunda edição que chega a vocês, fruto de um trabalho conjunto bastante esmerado.

 

Nossos mais que sinceros agradecimentos aos apoiadores que investiram nesta produção independente, confiantes de que o mercado precisava continuar usufruindo do conhecimento e das experiências práticas que queremos transmitir.

 

"Uma produção intelectual destacada e uma publicação conjunta que encontram lastro mesmo diante de dificuldades evidentes para um tema tão inovador: Compliance.Trata-se de um trabalho de três valorosos profissionais da área citada, com importante experiência no mercado financeiro e de capitais, permitindo adentrar em universos variados, aí incluindo a lavagem de dinheiro, governança corporativa, regulação e, o que mais surpreende, ética e corrupção. Ana Paula P. Candeloro, Maria Balbina Martins De Rizzo e Vinícius Pinho conseguem, com profundidade, criatividade, inteligência e humor, abordar um tema que, inicialmente, poderia parecer árido, mas o seu tom e sua concepção fazem desta obra algo incrivelmente leve e acessível a todos."

 

 

Fausto Martin De Sanctis

Desembargador